10 maneiras de se comportar mal no LinkedIn

Por Pam Neely

Como está a sua marca profissional? Afiada como uma lâmina? Ou está talvez um pouco cega na extremidade cortante?

Quaisquer destas situações são boas – se isto funcionar bem para você. Nem todos precisam manter as aparências online.

Mas, muitos de nós precisamos. De fato, a maioria. Nós podemos não ter que polir a nossa marca pessoal como deve um executivo, mas, nós ainda precisamos nos comportar de uma maneira que não afaste as pessoas de nós. Se estivermos no ramo de vendas ou de consultoria, ou se quisermos logo pensar num novo emprego, os riscos são maiores. As regras do jogo ficam mais exigentes.

Como você sabe, é fácil postar coisas online, que podem voltar e mordê-lo mais tarde. Frequentemente, estes tipos de postagens, no momento, não parecem ser grande coisa. E usualmente, eles não são. Eu não estou falando das postagens claras e enfeitadas de material de festas de grêmios estudantis (também chamados de fraternidades ou de irmandades), ou de ideias extremas. Eu estou falando de material em relação ao qual uma pessoa normal (até prova em contrário), num momento de fraqueza (ou de desespero para fechar uma venda ou para conquistar um cliente), pode estar suscetível.

Logo, estes são falsos passos sociais – não crimes contra a humanidade. Eles apenas passaram um pouco do limite, ou são um pouco esquisitos. Você até pode ser perdoado por isso no Facebook. Mas, no LinkedIn, isto é uma história diferente.

1. Discutir política.

Esta é a época, mas eu rogo a você que não espalhe − ou esfregue − opiniões políticas no LinkedIn. Em qualquer outro lugar da web, isto parece ser um jogo justo (especialmente no Twitter), mas deixe o LinkedIn para lá. Além disso, eu acho que todos nós precisaremos de uma zona de segurança durante esta eleição.

2. Postar coisas que são muito pessoais.

O LinkedIn não é o Facebook. Dito isto, quantos empregos promissores foram por água abaixo por postar coisas, mesmo no Facebook, que não eram profissionais?

Isto não significa que você nunca poderá compartilhar coisas pessoais. Coisas que podem ser aceitas pelo LinkedIn, se você compartilhar uma ou duas destas coisas por mês, podem ser:

  • Você ter assistido um espetáculo ou qualquer outro evento não político.

Por exemplo: você obteve ingressos para Hamilton? Você pode fazer uma “selfie” no seu assento. Você assistiu ao primeiro jogo da temporada da sua equipe favorita de basquete? Isto também pode ser compartilhado sem problemas.

  • Uma bonita vista de uma conferência, ou de algum outro lugar para o qual você viajou.
  • Uma foto dos seus filhos. Apenas uma vez por mês, por favor. Você ganhará um crédito extra se puder liga-la ao seu trabalho.
  • Algum feriado ligado ao trabalho. Mesmo que for uma bobagem como esta:

LinkedIn

3. Comprar uma briga com alguém.

É surpreendente como as coisas podem ficar quentes, mesmo se referindo a assuntos profissionais. Uma vez, eu quase entrei numa luta com alguém por causa de capacidade de entrega de e-mails. Mas, nós somos profissionais, e mantivemos a calma.

Você deve também se manter calmo. E também não faça coisas que você sabe que irritará outras pessoas. Para algumas pessoas, isto é mais difícil do que você pode pensar. De acordo com uma pesquisa da YouGov, mais de um quarto dos indivíduos abaixo dos 30 anos de idade se diverte irritando pessoas online.

LinkedIn

É claro que há muitas outras maneira mais sutis de começar uma briga. Você pode deixar um comentário maldoso. Ou insinuar qualquer coisa. Todos somos humanos, portanto, algumas coisas podem, ocasionalmente, mexer com você. Mas, deixe o teclado de lado. Vá olhar as fotos dos seus filhos (ou vá vê-los ao vivo). Ou vá a um jogo de baseball (ou de futebol).

4. Queixar-se da sua empresa.

Uma recente edição da Harvard Business Review tinha um estudo de caso sobre como controlar um funcionário, que se queixou no Facebook da empresa onde trabalhava. Esta foi a sua segunda vez que ele ofendeu publicamente o seu empregador. Algumas das opções sugeridas neste estudo de caso incluíram despedi-lo, mesmo sendo ele o melhor vendedor da empresa.

Eu imagino se os especialistas poderiam ter respondido de maneira diferente, se a postagem negativa tivesse sido publicada no LinkedIn. Ela poderia ser tomada ainda mais seriamente. No Facebook, há a suposição que o que você postar é parte da sua vida pessoal. No LinkedIn, é diferente. O LinkedIn é especificamente sancionado como um ambiente profissional. Qualquer coisa que você postar, você estará fazendo isto como um profissional.

Logo, se você tiver dúvida se deve postar algo não positivo sobre a sua empresa, não o faça. Não arisque o seu emprego. Não arrisque azedar o relacionamento com a sua empresa, ou com os seus colegas de trabalho. Provavelmente, você só irá piorar as coisas.

O que você pode fazer? Poste exemplos sobre como outras empresas lidaram com quaisquer situações, contra as quais a sua empresa pode estar lutando. Seja parte da solução. Faz parte da natureza humana resistir e rejeitar, quando nos dizem que estamos fazendo algo de maneira errada. Portanto, nunca desencadeie esta resposta. Fique do lado positivo – sugira soluções que “possam funcionar ainda melhor”. Você pode acabar tendo o que você quer.

5. Enviar e-mails de vendas agressivos.

Esta não é apenas a melhor maneira de alienar os seus novos contatos. É uma maneira de ser identificado e, possivelmente, banido do LinkedIn – se você levar isto longe de mais.

Ao invés disso, tente ser útil. Tipicamente, isto começa respondendo perguntas em grupos do LinkedIn e, então, possivelmente, com um toque muito leve, curtindo e comentando sobre as atualizações das pessoas. Fazer comentários nos posts publicados por elas no LinkedIn também ajuda. Você também pode compartilhar as atualizações, ou segui-las em outras plataformas. Se elas escreveram um livro, leia-o e deixe uma revisão. Depois de você ter feito tudo isto, definitivamente, elas saberão quem você é.

E, da mesma forma, você também saberá quem elas são. Você saberá muito mais a respeito de como você poderá ajuda-las, e saberá como falar com elas das coisas sobre as quais elas se importam.

Eu sei que isto é difícil se você tiver 300 contatos. Logo, estabeleça uma proporção de 80/20. Escolha 60 pessoas que podem ser valiosas o suficiente para receber toda esta atenção. Então dê atenção a elas.

6. Usar os seus contatos no LinkedIn como uma lista de e-mail.

Eu ouço muito isto. Muitas pessoas inteligentes e competentes parecem ficar confusas sobre isto. “Afinal”, elas dizem, “Se eu puder me comunicar com os meus contatos no LinkedIn, que diferença faz se enviar e-mails a eles? Não é verdade que eu tenho uma lista de e-mails já pronta do meu trabalho no LinkedIn”?

Desculpem-me, mas isto não é permitido. Não faça download da sua lista de contatos do LinkedIn e a use como se ela fosse uma lista de e-mails. Isto pode marca-lo como um remetente de spam, e também pode deixa-lo em dificuldades com o LinkedIn.

Estas pessoas não lhe deram permissão para acessar a caixa de entrada delas. Elas lhe deram permissão para serem conectadas no LinkedIn. E estas são duas coisas diferentes.

7. Tentar marcar um encontro (amoroso).

Não use o LinkedIn para marcar encontros (exceto os profissionais). Ou mesmo, para flertar. Ou mesmo para expressar admiração pela aparência de alguém. Há dúzias, talvez centenas de sites para isto em outros lugares da Internet. Deixe o LinkedIn em paz.

8. Dizer coisas negativas sobre pessoas.

Isto é semelhante a começar uma briga com a sua empresa, ou tentar joga-la no lixo, mas, tem um sabor diferente, portanto, eu incluiria isto aqui.

Aqui, eu estou realmente pesando em comunicações privadas no LinkedIn (ou, por falar nisso, em qualquer outro lugar). Frequentemente, alguém o irá procurar e pedirá a sua opinião sobre alguém. Se você tiver algo bom para dizer, está bem, responda com entusiasmo. Mas, se não tiver, evite dizer coisas negativas. Com muita frequência, estas perguntas terminam voltando para a pessoa de quem se está falando. E isto provocará, mais tarde, uma situação delicada.

9. Fazer tudo ser sobre você.

Os sintomas disto são promover apenas o seu próprio conteúdo, ou destacar apenas você mesmo.

Se você precisa de trabalho com muita urgência, esta regra pode ser realmente difícil de seguir. Eu entendo isto. Mas, o marketing da mídia social nunca é sobre a venda dura e rápida. É sobre ser amigo e sobre ajudar. As pessoas que mais ajudam as outras no LinkedIn são as que se saem melhor.

Portanto, ao invés de falar apenas sobre você, vire o verso: fale sobre os outros. Em cada postagem, em cada e-mail, em cada pedido de conexão, em cada comentário.

10. Grupos de spam com o seu conteúdo (especialmente se for alguma grande oportunidade para ganhar dinheiro online).

Você não irá muito longe com isto na maioria dos grupos. Eles simplesmente o banirão, algumas vezes depois de apenas duas ofensas.

Uma ofensa irmã desta é quebrar as regras de um grupo do LinkedIn. Isto pode significar qualquer coisa desde postar na seção errada até postar links afiliados.

Para alguns grupos, quebrar as regras pode ser surpreendentemente fácil de fazer. Portanto, fique no que é seguro: leia as regras (elas são rotuladas como “Regras do Grupo”, logo abaixo do parágrafo “Sobre este Grupo”), antes de postar qualquer coisa.

LinkedIn

Estas são regras de grupo para um grupo do LinkedIn chamado “Digital Marketing”, que tem quase 1 milhão de membros.

Conclusão

Cada plataforma de mídia social é diferente. O que funciona para o Facebook não serve para o LinkedIn. E, pelo fato do LinkedIn ser tão focado na comunidade de negócios, qualquer coisa que você disser ou que fizer lá será especialmente ligada a você como um profissional.

Considere a metáfora da festa da qual todos nós soubemos na mídia social: comporte-se na mídia social da mesma forma que você se comportaria numa festa. Geralmente, isto significa não fale apenas sobre você mesmo. Pense no Linkedin como se fosse uma festa de trabalho, um evento de networking, ou uma festa de uma conferência de um ramo de atividades. Aja como se você fosse encontrar pessoas altamente influentes. Isto pode simplesmente ser verdade.

Quais são as suas “neuras” em relação ao LinkedIn?

Há algum comportamento que você gostaria de deixar de ver no LinkedIn? Desabafe deixando um comentário a seguir.

Materiais gratuitos para você baixar!

Sobre a autora: Pam Neely tem feito marketing online por 18 anos. Ela tem uma história em publicidade e em jornalismo, incluindo um prêmio “New York Press Award” e um “Hermes Creative Award” por escrever blogs. Pam tem um mestrado em Marketing Direto e Interativo, da Universidade de New York, sendo a autora do livro “best seller” do Amazon Kindle “50 maneiras de construir a sua lista de e-mail marketing” (“50 Ways to Build Your Email Marketing List”). Siga-a no Twitter @pamellaneely.

Fonte: Act-On Software

Tradução: Fernando B. T. Leite

® Copyright: A HyTrade é agência parceira da Act-On e todos os artigos são traduzidos e republicados com autorização.