Como a Internet das Coisas está mudando o marketing para sempre

Por Nicki Howell

Você já acordou, foi até a cozinha e fez a surpreendente descoberta que o café acabou? Mas, imagine que tudo está bem, pois, há uma semana, a sua máquina de fazer café alertou a Amazon que “esta senhora está quase sem café, portanto, vamos pedir mais, antes que haja uma crise por lá”. E a crise foi evitada.

Este é apenas um exemplo de como a Internet das Coisas (em inglês, the Internet of Things – IoT) impactará as vidas das pessoas no futuro, mas a IoT também mudará o marketing, como nós o conhecemos. De fato, em todo o globo, os profissionais de marketing sêniores esperam que a IoT cause o maior impacto sobre o marketing nos próximos cinco anos.

Por volta do ano 2020, haverá mais de 26 bilhões de dispositivos conectados, o que é o dobro do número de tablets, smartphones e PCs somados. Para os profissionais de marketing, isto é enorme, por que propicia acesso sem precedentes aos clientes. Mas, o que exatamente é a IoT, e como ela mudará o marketing para sempre?

O que é a IoT?

A Internet está amplamente disponível em todo lugar, desde o aeroporto, ao café local e até à academia de ginástica. As pessoas ficaram mais conectadas e, à medida que elas fizeram isso, também o fizeram os seus dispositivos. O conceito por trás da Internet das Coisas é que qualquer dispositivo que tenha um interruptor para liga-lo e desliga-lo pode ser conectado à Internet. Isto inclui a sua máquina de fazer café, os fones de ouvido e, até mesmo, a sua máquina de lavar roupas (veja mais sobre isto num minuto).

Portanto, por que os clientes querem tantos dispositivos que falam uns com os outros e, como resultado, coletam quantidades enormes de dados sobre as suas vidas? A resposta é simples. Trata-se de conveniência. Mas, para os profissionais de marketing, esta demanda por conveniência transformará as suas funções. Veja cinco maneiras pelas quais a IoT impactará os profissionais de marketing no futuro.

1. Transações em altíssima velocidade

Atualmente, os clientes estão mais ocupados que nunca, e, consequentemente, eles querem experiências mais rápidas. De fato, espera-se que, por volta de 2020, a experiência do cliente sobrepuje o preço e o produto como o diferenciador chave. Logo, para as marcas, o que significa isto? Isto significa que elas precisarão usar tecnologia inovadora para entregar precisamente o que os clientes querem, no exato momento da relevância, e a IoT está tornando isso possível.

Por exemplo, a Walgreens fez recentemente uma parceria com a Aisle411 e o Google Tango para criar um app, que servirá, mais rapidamente, as experiências mais relevantes dentro das lojas, alavancando a IoT. Eles criaram uma plataforma móvel para compras, que permite que os consumidores busquem e mapeiem os produtos dentro da loja. Você está procurando nos corredores um funcionário a quem perguntar onde está localizado determinado produto? Esse app resolve este problema e também serve para divulgar ofertas personalizadas, no momento relevante, o que é uma tremenda oportunidade para os profissionais de marketing.

Os Hotéis Hilton usam a IoT para criar essas elevadas experiências para os seus clientes. Eles lançaram um processo de registro (check-in) mais rápido, que permite que os clientes usem os seus smartphones para se registrar no hotel e obter a chave do quarto. No futuro, os profissionais de marketing destes hotéis podem estar usando “poucos dados” que capturam os mínimos detalhes da estadia do cliente. Por exemplo, eles podem aprender quantos travesseiros um cliente prefere, através de apps habilitados pela IoT e, então, oferecer esses pequenos detalhes em futuras estadias.

2. Criar experiências dinâmicas para os usuários

A Internet das Coisas permite que os clientes entendam melhor como funcionam os produtos e serviços. Hoje em dia, você pode oferecer uma demonstração, mas, no futuro, você poderá alavancar a IoT para conduzir maior engajamento com os clientes.

Por exemplo, a Home Depot usa a IoT para conectar online os cartões de compras dos clientes, e as listas de compras deles, através de aplicativos para dispositivos móveis dentro das lojas. Os clientes que fazem parte do programa de recompensas da empresa podem ver quais são os caminhos mais eficientes dentro das lojas, baseados na sua história de compras online. Ele liga os diversos canais usados pelo cliente para oferecer uma experiência mais perfeita.

No futuro, a IoT pode se tornar ainda mais avançada que a que foi listada no exemplo acima. Ela pode não apenas mostrar o melhor caminho numa loja, baseada em históricos de compras anteriores, mas a loja também pode rastrear os dados relacionados a esses caminhos. Por exemplo, uma empresa pode descobrir que 40 por cento dos clientes usam um caminho específico através da loja e, consequentemente, desenhar mais eficazmente os displays de produtos.

A Amazon também está encontrando os clientes onde eles estão, através do seu desenvolvimento de IoT chamado “Dash Buttons” (botões para emergências).

Internet das Coisas

 

Esses botões estão disponíveis para os clientes que são membros “Prime” e permitem fazer um rápido pedido de reposição, quando o seu produto doméstico favorito estiver acabando. O botão é conectado através do Wi-Fi da casa e o app da Amazon.

Quando os clientes recebem um botão, eles configuram a quantidade que eles querem pedir ao aperta-lo. Então, quando um produto, como um detergente de máquina de lavar roupas, ou o lanche favorito, estiver acabando, um simples aperto do botão faz o pedido de reposição. Este processo economiza tempo e é muito bom para as empresas, pois elas ganham pedidos repetidos e geram maior lealdade nos clientes.

3. Capturar dados relevantes, criar experiências relevantes

Como foi acima descrito, a IoT permite que os profissionais de marketing capturem enormes quantidades de dados sobre os seus clientes. Por exemplo, há mais de 22 anos o McDonald’s ofereceu um concurso Monopólio, no qual os clientes retiravam adesivos dos produtos e ganhavam prêmios. A IoT está transformando este antigo jogo em algo mais avançado.

A empresa fez uma parceria com a Piper, uma solução de baliza de baixa energia de Bluetooth. Ela saúda os clientes nos seus smartphones quando eles entram no restaurante. Uma vez dentro dele, os clientes recebem cupons com relevantes ofertas, pesquisas e outras informações. Isto é bom para os clientes, pois eles recebem informação relevante em tempo real, mas também é muito bom para o McDonald’s por que a empresa coleta muitos dados.

Por exemplo, digamos que um cliente preencha uma pesquisa em seu dispositivo móvel. O feedback é rapidamente enviado para o gerente apropriado, que pode responder ao cliente quando ele ainda está no restaurante, e ainda não terminou a sua refeição.

4. Abalando os preços: produtos como um serviço

A IoT está transformando a experiência do cliente, mas ela também transforma a maneira como os profissionais de marketing oferecem os seus produtos. Por exemplo, a Rolls-Royce embutiu nos seus motores sensores que, não apenas transmitem dados em tempo real sobre as condições do veículo, como também o medem numa base de um impulso por segundo. Consequentemente, o fabricante de carros pode vender diferentes níveis de potência de motor usando um modelo baseado em assinatura.

Este modelo transforma a formação dos preços para todos os diversos tipos de produtos. No passado, o usuário pode ter comprado um produto imediatamente, mas, no futuro, os profissionais de marketing podem estar vendendo produtos que usam sensores e permitem que empresas os vendam baseadas em diversos usos ou características.

Por exemplo, um produto da Tesla pode ser atualizado para ter melhor desempenho, ou a empresa poderia consertar defeitos de produtos enquanto o proprietário dorme. Um modelo baseado em assinatura pode permitir que empresas, que estritamente venderam um produto no passado, a gerar uma receita contínua e maior lealdade dos clientes, através de características e ofertas baseadas em assinaturas.

5. Integração mais inteligente de produtos

A IoT também oferece maior valor aos clientes e mais oportunidades de negócios no futuro através de uma perfeita integração de plataformas. Por exemplo, digamos que você tenha uma conta Premium no Spotify. Quando você entrar num Uber, a sua lista pode carregar, permitindo que você ouça as suas canções favoritas a caminho do aeroporto.

Esta integração entre os dispositivos e plataformas permitirá que os profissionais de marketing não apenas criem experiências personalizadas para os clientes, como também aprendam mais sobre os comportamentos e as preferências deles. Como resultado, as marcas construirão engajamentos mais profundos e mais autênticos.

4 dicas para o sucesso

Você está pensando em adotar a IoT na sua futura estratégia de marketing? Se a resposta for sim, você pode começar a imaginar por onde começar. Veja algumas rápidas dicas.

  • Comece olhando para as interações. Em quais pontos estão os clientes interagindo com a sua marca? Talvez eles interajam principalmente através dos canais online, ou da mídia social. Se a resposta for sim, essas áreas devem ser o principal foco para os esforços de marketing da sua IoT.
  • Foque nos problemas. Num exemplo anterior, a Walgreens habilitou uma estratégia de marketing de IoT olhando onde os clientes tinham problemas. Eles descobriram que os clientes não gostavam de desperdiçar tempo e que, quando eles querem encontrar um produto (ou um funcionário), eles começam a ter uma experiência negativa. Foque nos maiores problemas dos seus clientes.
  • Conecte os dados. Olhe para as interações e os problemas, e, então descubra onde se encaixa a IoT. Por exemplo, talvez você selecione as poucas principais interações dos clientes com a sua marca, como também um problema comum. A partir daí, você pode descobrir como incorporar a geolocalização através da IoT, ou outras características que melhorem a experiência dos clientes.
  • Meça os dados. Uma vez implantada a IoT, é importante acompanhar e mudar o curso das coisas, como for necessário. Colete os dados, mas tenha a certeza de traduzir esses dados em valiosas percepções.

Seguindo adiante

Bater na porta da Internet das Coisas está mudando o futuro dos profissionais de marketing. No passado, esses profissionais de marketing tinham dados. Todavia, muitos desses dados eram históricos e as empresas não eram capazes de reagir em tempo real, através da IoT. Mas, isto mudará no futuro.

A melhor época para começar a criar uma estratégia de marketing de IoT é agora. Quando você fizer isto, você poderá monitorar de perto o comportamento dos seus clientes, reagir mais rápido quando as coisas saírem erradas e mitigar más experiências. Isto é sobre ser proativo, criando interações positivas com os clientes, em tempo real.

O que você acha da IoT e do seu papel no futuro do marketing? Por favor, compartilhe deixando um comentário abaixo.

Materiais gratuitos para você baixar!

Sobre a Autora: Nicki Howell é uma profissional de marketing de conteúdo B2B, especializada no ramo da tecnologia. Ela ajuda os seus clientes a melhorar as suas taxas de respostas, a comunicar mensagens complexas e a gerar leads de alta qualidade. Você pode conectar com Nicki no LinkedIn, segui-la no Twitter ou aprender mais aqui.

Fonte: Act-On Software

Tradução: Fernando B. T. Leite

Act-On agency partner logo® Copyright: A HyTrade é agência parceira da Act-On e todos os artigos são traduzidos e republicados com autorização.