Como o algoritmo do LinkedIn determina o que viraliza

Por Ross Simmonds

Um dos elementos mais poderosos do LinkedIn são as conexões e os relacionamentos que você mantém. Quanto maior for o número de pessoas com as quais você estiver conectado no LinkedIn, melhores serão as chances do seu conteúdo atingir as pessoas que estão fora da sua rede.

Isto pode parecer óbvio.

Mas, e se eu lhe dissesse que há um pouco de um molho especial por trás das cenas e que também contribui para aumentar a probabilidade do seu conteúdo alcançar novas pessoas? Você estaria interessado em aprender mais sobre isto?

Bem, hoje é o seu dia de sorte… Neste blog post, eu mostrarei algumas das últimas percepções e ideias que aprendi estudando alguns documentos publicados pela Equipe de Engenharia do LinkedIn.

Vamos a eles…

O LinkedIn implantou um processo de quatro passos para a distribuição de conteúdo através da sua rede, como uma maneira de reduzir as probabilidades de spam, ou de conteúdo inadequado. Conhecer os passos tomados pelo LinkedIn antes de reduzir (ou de ampliar) o alcance dos seus conteúdos é uma parte importante sobre como usar o LinkedIn como um canal para o marketing de conteúdo.

O primeiro passo no processo deles acontece durante o momento no qual você publicar o conteúdo na sua conta. Num blog post que descreve as estratégias usadas para manter a newsfeed relevante, o Diretor de Engenharia, Rushi Bhatt explicou:

Os nossos classificadores online e nearline rotulam, em tempo quase real, todas as imagens, textos, ou posts longos como “spam”, “de baixa qualidade”, ou “liberados”.

Quando o conteúdo passar por este filtro inicial, ele é mostrado a uma amostra inicial de usuários, que influencia a probabilidade do alcance dos conteúdos através de curtidas, visualizações, ocultações e sinalizações. Nesse ponto, o conteúdo recebe uma pontuação em relação à perspectiva de qualidade, antes de ser passado adiante para os editores humanos, que determinam se (ou não) o conteúdo deve continuar a ser mostrado, ou se deve ser rebaixado.

Isso está certo!

Essencialmente, o seu conteúdo está sendo servido para um PEQUENO lote de pessoas, com as quais você está conectado, como um teste, e, se essas pessoas ENGAJAREM, ele então é passado adiante para os editores (Pessoas Reais), para determinar se deve continuar a ser mostrado às massas.

Veja o processo referenciado no blog da Engenharia do LinkedIn:

Como o algoritmo do LinkedIn determina o que viraliza I

Em resumo, o processo para determinar o que deve aparecer no feed do LinkedIn é este:

  1. O conteúdo é classificado como Imagem/Texto/Vídeo/Formato longo/Link.
  2. Dependendo da classificação, o conteúdo é então distribuído para uma amostra de pessoas de determinado tamanho.
  3. Uma vez adiante dessas pessoas, diferentes ações têm diferente peso para determinar se o post deve ser (1) rebaixado porque é de baixa qualidade, ou (2) mostrado para mais pessoas porque é de alta qualidade.
  4. Os editores revisam o conteúdo para ver se vale a pena distribui-lo para além da rede dos usuários.

Conhecer esta estrutura deve ajuda-lo a entender porque tantas pessoas que, certa vez tiveram milhares de curtidas em seus posts, estão agora se queixando que estão gerando apenas um punhado delas. É porque as táticas e estratégias que elas estavam usando estão agora sendo classificadas como sendo conteúdo de baixa qualidade.

Portanto, como você poderá criar conteúdo para o LinkedIn que realmente gere resultados?

Eu gostaria muito de ouvir algumas experiências que você teve no LinkedIn e se você está vendo (ou não) quaisquer tendências que levem a um melhor conteúdo. Deixe um comentário e, ao fazer isto, vamos nos conectar no LinkedIn!

Materiais gratuitos para você baixar!

Sobre o autor: Ross Simmonds é um apaixonado por tecnologia, boas pessoas, bom café e por contar histórias. Ele escreve sobre uma ampla gama de assuntos que o interessam e ensina as pessoas como usar conteúdo, a mídia social e contar histórias para atingir as suas metas de negócios. Como um empreendedor, ele escreve frequentemente sobre os pontos altos e baixos do empreendedorismo, junto com lições que ele aprendeu durante os últimos anos. Ele é o fundador da Hustle & Grind (loja de eCommerce  para empreendedores), da Crate (software de marketing de conteúdo) e oferece serviços de marketing de conteúdo para marcas e startups em todo o mundo. Ele usa o seu site para compartilhar os seus pensamentos sobre marketing, negócios, vida e coisas que o inspiram. Ele escreveu Stand Out: The Content Guide for Entrepreneurs, (Apareça: o guia de conteúdo para empreendedores) The Hustle Manifesto (O manifesto da pessoa ativa) e compartilha conteúdo exclusivo para milhares de pessoas numa base semirregular em sua newsletter.

Fonte: rosssimmonds.com

Tradução: Fernando B. T. Leite

ross-logo® Copyright: Todos os artigos do Ross Simmonds são traduzidos e republicados com autorização.