10 lições de marketing inspiradas pelo músico Dave Grohl

Por Nathan Isaacs

Dave Grohl é melhor conhecido como o cantor líder da banda de rock Foo Fighters, e como baterista da famosa banda de som estridente de guitarra e vocalização preguiçosa Nirvana, no início dos anos 1990. Ele também é um cineasta – ele foi a força criadora por trás do documentário em minissérie da HBO Sonic Highways – e ainda fez uma eloquente e inspiradora apresentação. Sempre que ouço Grohl falar (ou cantar), eu fico maravilhado por sua inteligência e pelo seu entusiasmo por sua arte.

Recentemente, eu fiquei pensando que ele é mais que um artista… ele realmente é um excelente profissional de marketing. Portanto, veja aqui 10 lições de marketing da carreira de Dave Grohl.

lições de marketing

1. Conheça suas principais competências.

Para Grohl, isto quer dizer música. Ele é um músico autodidata e natural atrás de um microfone ou de uma bateria. Ele também é um entusiástico apresentador, e suficientemente talentoso para reunir multidões e engajar fãs. Grohl é confiante, sabe quem é e estende isso naturalmente à sua “marca”.

Como ele disse numa importante apresentação na conferência SXSW em 2013: É a SUA voz. Acredite nela, respeite-a, nutra-a, desafie-a e grite até que ela [sua obscenidade] desapareça. Porque todos são abençoados com pelo menos isso, e quem sabe quanto tempo irá durar…

Você sabe em que sua empresa é boa? Se não souber, há maneiras de descobrir. Por exemplo, tente olhar para o que mais vende e o que seus clientes dizem sobre isso. Quando você descobrir quais são essas coisas, apegue-se a elas.

2. Tente novas coisas.

Embora Grohl saiba quais são suas principais competências, ele também não tem medo de empurrar um pouco o envelope e tentar novas coisas. Quando a Nirvana terminou, devido à morte do cantor/guitarrista Kurt Cobain em 1994, Grohl ficou quieto. Ele reemergiu um ano depois, com um novo álbum, Pocketwatch, no qual ele cantou os vocais principais e tocou não só a bateria, mas também todos os demais instrumentos.

Anos mais tarde, depois de muitos álbuns populares e de concertos em arenas, Grohl buscou outra extensão da banda: fazer filmes. Ele e os Foos foram assunto do documentário Back and Forth, uma olhada por trás das cortinas dos palcos, incluindo uma olhada no processo de gravação de Wasting Light. Depois disso, veio um documentário dirigido por Grohl sobre o legendário estúdio de gravação do sul da Califórnia, o Sound City.

Sem dúvida, inspirado pelo Sound City, Grohl embarcou em outra ideia: um documentário sobre estúdios de gravação históricos em todos os Estados Unidos. O espetáculo e o álbum do mesmo nome foram chamados Sonic Highways.

Provavelmente, como você pode ver, cada projeto deu lugar a outro. A carreira de Grohl evoluiu naturalmente, com as raízes todas levando às suas baquetas.

Sua marca fez o mesmo? Se não fez, poderia ter feito? Você não precisa começar por um grande conceito. Se alguém tivesse dito ao jovem Grohl que algum dia ele estaria filmando uma minissérie da HBO, provavelmente ele teria duvidado. Mas, com cada projeto, seus sonhos evoluíram e cresceram naturalmente.

3. Não tenha medo de falhar.

O álbum criado para Sonic Highways não foi particularmente bem recebido pelos críticos, que o nocautearam por ser mais conceito que álbum. Como um fanático e fã de música, eu era fascinado e amava ouvir canções para selecionar sugestões e pistas dos lugares que influenciam e infundem materiais. Mas eu entendo o ponto dos críticos. Ao comparar as faixas deste álbum com algumas das mais fortes de antigas gravações, eu posso ver que Sonic Highways é mais teoria que substância.

Mas o simples fato de Grohl e os Foo Fighters terem lançado o álbum significa muito para mim. Foi uma ideia estranha escrever e gravar uma faixa em cada uma de oito cidades e estúdios. A banda poderia ter parado apenas no documentário. Mas eles estenderam o conceito, incluíram sua principal competência da música e foram adiante. Para mim, isto não é falhar – é uma demonstração de bravura e também uma experiência de aprendizado. Por um lado, eu suspeito que eles descobriram que é incrivelmente desafiador escrever uma nova canção sob demanda e então grava-la, em equipamento com o qual você não está familiarizado, num tempo relativamente curto. Talvez, se eles fizerem uma segunda temporada, eles se permitirão ficar mais tempo em cada lugar.

Vamos voltar nosso pensamento para o marketing e o “branding” (promoção da marca). Quais erros você cometeu – e como você pode aprender com eles? Vale sempre a pena fazer uma avaliação “post-mortem” depois de um grande projeto, independentemente dele ter terminado positivamente ou não. Anote o que aconteceu e o que você pode melhorar na próxima vez.

4. Olhe para o passado.

Como ficou evidente pelo seu interesse por estúdios de gravação da América, Grohl é um estudante do seu ofício. Ele usa influências que estão em sua manga, sem pedir desculpas, e reverencia músicos e locais legendários. Mais recentemente, Grohl e sua banda anunciaram que estavam ressuscitando Cal Jam, que foi um histórico concerto ao ar livre ocorrido no sul da Califórnia nos anos 1970. Para atrair interesse e promover a venda de bilhetes, Grohl e o baterista da Foo Fighters, Taylor Hawkins, postaram um anúncio desonesto nas contas da banda na mídia social. Nele eles falaram sobre as Cal Jams do passado, as filas épicas e o que eles tinham planejado para o evento de 2017.

“Ele é um apreciador” disse a mãe de Dave, Virgínia Grohl, num artigo da Rolling Stone. “Ele respeita a história e as raízes”.

E você? Você olha para o passado – de sua própria empresa, como também do seu ramo de atividades? O que você pode aprender, ou tentar fazer, ou a quem prestar homenagem?

5. Saiba como permanecer sendo relevante.

Apesar de sua reverência pelo passado, Grohl também sabe como permanecer na frente e no centro de nossas mentes. Ele e os Foos fizeram novos lançamentos – álbuns, documentários – como reloginhos e fazem turnês regularmente. Eles também fazem acrobacias engraçadas, como Rickrolling, recentemente para uma audiência de um festival na Ásia. Grohl e seus colegas de banda parecem ter sempre algo nas manchetes.

A sua marca permanece sendo relevante? Seu pessoal usa as últimas ferramentas – e, mais importante, está você constantemente lembrando os fãs de sua marca dos seus produtos e de sua existência? Ninguém quer ficar fora da vista, fora da mente. Assim mesmo, com todas as distrações e concorrentes de nossa época, este é um lugar fácil onde cair.

6. Seja bom ao surpreender as pessoas.

Grohl cumpre suas promessas e acha uma maneira de manter seus clientes – quero dizer, sua audiência – adivinhando como fará isto. Caso em questão: foi dito que a banda esteve num hiato em 2015. A especulação foi que eles estavam se separando, ou que Grohl iria para uma carreira como solista. Então, do nada, eles apareceram em 2017 com uma faixa surpreendente, com vídeos e a revelação de um novo álbum e de uma turnê.

O que sua marca fez recentemente para surpreender de deleitar seus clientes?

7. Preocupar-se… genuinamente.

O entusiasmo de Grohl é infeccioso. Ele é genuinamente interessado em música, em filmes e em criatividade. Ele não parece ser o tipo de pessoa que defende m… ou que dá importância a uma fachada (falsa impressão). Não é só isso, ele coloca seu dinheiro (eu imagino que muito dinheiro) onde está a sua boca. Consequentemente, suas ações inspiram profunda devoção em todo o mundo. Recentemente, a banda deu um concerto em Cesena, na Itália, após os fãs da cidade terem realizado uma campanha viral implorando para os Foos tocarem lá, e terem reunido 1.000 músicos locais para tocarem, em conjunto, a canção “Learn to Fly”.

“As pessoas o seguem porque acreditam que Dave é sincero. Isto transparece em sua música. É como se alguém que mora na mesma rua a tivesse feito”, disse Butch Vig, o frequente produtor da banda, na revista Rolling Stone.

No final do dia, Grohl parece ser apenas uma pessoa qualquer, alguém com quem eu gostaria de conversar numa festa. Ele parece ser autêntico.

Sua marca é autêntica? Se não for, o que você pode fazer para aumentar o nível de sinceridade dela? Neste ponto, para os adolescentes que estão próximos dos 20 anos de idade, é crítico ser real.

8. Seja um realizador.

Grohl tem raízes profundas na cena punk, que tem uma forte ligação com a mentalidade de fazer você mesmo (do it yourself, ou DIY). Em sua já mencionada palestra de destaque na SXSW, Grohl falou sobre seu amor pela cena punk DIY e o início de sua percepção de que criar uma carreira punk era possível, e que ele poderia fazer isso acontecer com suas próprias mãos calejadas:

Aos 13 anos de idade, eu percebi que poderia começar minha própria banda, que eu poderia escrever minhas próprias músicas, que eu poderia gravar meus próprios discos, que eu poderia iniciar meu próprio rótulo, que eu poderia marcar minhas próprias apresentações, que eu poderia escrever e publicar minha própria revista para fãs, que eu poderia fazer silkscreen em minhas próprias camisetas… que eu poderia fazer tudo isso para eu mesmo. Não havia certo ou errado… pois tudo era meu.

Muito parecido com as múltiplas tarefas que um profissional de marketing pode desempenhar, Grohl não tem medo de enrolar suas mangas, mostrar seus braços tatuados com penas, e trabalhar. Esse mesmo menino de 13 anos de idade cresceu, para escrever e gravar todo um álbum – o primeiro álbum dos Foo Fighters – como solista.

E você? O que você pode fazer, em vez de esperar que alguém lhe faça um convite? O que você pode tentar… e, sim, talvez falhar na tentativa? Quais projetos ou testes você pode realizar desde o início até o final, e que sejam verdadeiramente seus?

9. Continue a aprender.

Grohl tem uma curiosidade inata. Por exemplo, ele fez perguntas honestas – coisas que ele queria verdadeiramente entender – a seus entrevistados durante a Sonic Highways. Esta curiosidade natural e a disposição para aceitar que você não tem todas as respostas podem levar a territórios desconhecidos… mas, de uma boa maneira.

O que você quer saber sobre seus clientes, seu ramo de atividades, seus concorrentes? Você pode começar a perguntar e ver aonde levarão as respostas?

10. Dê às pessoas o que elas querem.

Independentemente do que Grohl faz, parece que ele mantém em sua mente seus sucessos anteriores – e seus fãs. Ele sabe o que funciona e o que as pessoas querem. E, durante todas suas tentativas e reinvenções, ele sempre nos deixa um osso.

Depois de Sonic Highways, Dave e a banda lançaram Concrete and Gold. Este é um álbum tingido com antigas músicas dos Foos, ligadas aos seus primeiros sucessos. Emocional e nostálgico, por exemplo, “The Line” provoca um sentimento parecido com a extremamente popular “Everlong” dos Foos. “Run” e seu atrevido vídeo estão bem alinhados aos materiais clássicos, de carga rápida e tolos dos Foos.

O que você pode fazer por seus clientes? Por quais produtos ou serviços você é conhecido – e pode manter o fornecimento destas coisas que seus clientes realmente querem? O que você pode criar para saciar esses desejos – e mantê-los voltando para comprar mais?

E, se você se sentir empacado, ou precisar e uma pequena inspiração, você poderá reservar um momento para se perguntar: O que faria Dave Grohl?

Materiais gratuitos para  você baixar!

Sobre o Autor: Nathan Isaacs é um jornalista de marketing e o cara dos vídeos na Act-On; ex-diretor da SearchFest, proprietário da Seven G Media, e co-fundador da Trailhead Beer in PDX.

Fonte: Act-On Software

Tradução: Fernando B. T. Leite

Act-On agency partner logo® Copyright: A HyTrade é a primeira agência parceira da Act-On no Brasil e todos os artigos são traduzidos e republicados com autorização.